20 EMPRESARIOS DE SUCESSO III

07/10/2010 07:00

Alberto Saraiva

53 anos, presidente e fundador do Habib's

"Qualquer negócio pode ser reinventado, mesmo o mais simples"

Aprendi isso quando tive de assumir a padaria criada por meu pai, morto num assalto. Eu era o

primogênito e a família só tinha a padaria para se sustentar. Aprendi a fazer pão e virei padeiro.

Identifiquei a melhor farinha para fazer o melhor pão da região. Aprendi a vender barato. Na

época, o preço do pão era tabelado, mas eu o vendia com desconto de 30%. Fiz uma promoção

em que o cliente, se comprasse dez pães, levava 12. Substituí os funcionários ruins. A padaria,

que era a pior da área, virou a melhor. Os clientes faziam fila na porta. Percebi que mesmo em mercados

aparentemente simples é possível se destacar dos concorrentes. Até hoje sigo essa fórmula.

Cledorvino Belini

56 anos, presidente da Fiat

"Faça suas próprias pesquisas de mercado"

Quando ainda presidia a Cofap, fizemos uma campanha com um cachorrinho que ficou famosa.

Um dia, durante um vôo, distribuíram para os passageiros um folheto da campanha. Sem me

identificar, perguntei ao sujeito na poltrona vizinha o que ele tinha achado do material. Apesar de termos feito

uma pesquisa exaustiva, ele falou coisas que eu nem tinha imaginado. Desde então, procuro conversar com

potenciais consumidores. Passageiros que se sentam a meu lado em aviões e motoristas de táxi são meus alvos

favoritos.

Marco Antonio Bologna

50 anos, presidente da TAM

"Não seja apenas um técnico"

Num dos meus primeiros dias trabalhando com o comandante Rolim, fundador da TAM, ele me

pegou no corredor (como costumava fazer com todo mundo) e me disse que um

administrador tem de ser um líder, e não apenas um técnico. A grande diferença entre um e outro é

que o primeiro lida com pessoas, enquanto o segundo lida com coisas. Ao lidar com pessoas, você tem

de transmitir valores, metas e entusiasmo. E ouvir, claro. Às vezes, ouve-se até o que não quer. Eu acabara de

assumir a vice-presidência de finanças e administração. Desde então, a regra do comandante virou a minha

regra.

Bernardo Hees

36 anos, presidente da ALL

"Ao assumir um novo cargo, esqueça as decisões estratégicas e aposte no bom senso"

Quantas vezes vemos grandes reestruturações logo após a mudança de comando de uma

empresa? Ao assumir um novo cargo é melhor tomar apenas decisões de bom senso, em vez de

fazer revoluções. Antes disso, é preciso conhecer a lógica do negócio e a do mercado em que está inserido.

Quando assumi a ALL, havia uma operação ineficiente. Antes de interrompê-la, percebi que simplesmente havia

falhas nas previsões dos horários de chegada dos trens. Bastou mudar isso para acertar todo o resto. Hoje,

essa é uma das minhas operações mais rentáveis.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!